sexta-feira, junho 25, 2010

Midsummer ou Litha - Solstício de Verão
(21 de Junho - Hemisfério Norte) e (21 de Dezembro - Hemisfério Sul)

Certo dia, estávamos nós reunidos em um espaço esotérico em São Paulo. onde a maioria dos integrantes na época eram mulheres. Sabíamos que precisávamos encontrar mais homens para participar dos nossos rituais por uma questão de equilíbrio de energias, já que acreditamos na união destas forças opostas (princípio masculino e princípio feminino) como base do próprio universo. Haviam muitas deusas pra pouco deus (risos). Nos encontrávamos sempre aos domingos quando uma de nós trouxe junto de si uma pessoa nova. Essa pessoa também era uma mulher mas era especial, e com certeza nos foi enviada por motivos especiais, pois possuía uma energia extremamente masculina. E assim seu primeiro ritual com o grupo foi justamente Litha, quando o deus sol, ou seja, a energia masculina, atinge seu ápice.Hoje, tenho mais certeza do que nunca, coincidências não existem e as coisas são exatamente como devem ser.


Ah o verão...E quem é que não gosta?
Ta bom vai eu entendo, às vezes está quente demais. É a força do sol que está crescendo! É o nosso amado Deus que agora se encontra em sua maturidade, seu auge!!

Agora está em sua fase adulta e é em Midsummer que sua força se eleva ao ápice para em seguida entrar em declínio novamente e dar continuidade ao ciclo.

O Solstício de Verão, também chamado de Meio de Verão, Alban Helfim ou Litha, é o dia mais longo do ano e simboliza o poder do sol, e é através do sol que nos conectamos aos ciclos anuais e suas estações. Desde os primórdios da humanidade, assim como a lua é o símbolo da deusa, da magia e das coisas misteriosas, o sol nos traz os aspectos masculinos do nosso Deus e está relacionado à fertilidade e germinação.




É o Deus provedor da vida que, em união com a Deusa a tudo cria. Sem seu calor nada existiria e por isto a humanidade sempre foi consciente de seu poder, basta nos lembrarmos das construções da antiguidade que deixaram um legado de seu culto como o monumento de Stonehenge...


Vínhamos observando o crescimento do sol desde a chegada da primavera (Ostara) e percebemos sua ação por todo o planeta. Agora as flores, folhagens e gramados mostram-se abundantes e belíssimos. Lindos campos de um verde magnífico banhados pela luz dourada do sol e nutridas por seu calor aconchegante, pois este é o seu momento de brilhar.



A celebração de Litha nos traz esta energia do masculino e é um momento muito especial para trabalharmos com coisas relacionadas a ele. Colher ervas medicinais (já que ele está relacionado a vida) e para fazer poções diante de todo este poder é um bom começo. Utilizar elementos que símbolizem o Deus em nosso altar durante o ritual é fundamental, dando até um pouco mais de ênfase do que à Deusa devido ao dia pertencer a ele. Um ramo de trigo ou um galho talvez seriam bons exemplos.



Tente se conectar com esta energia neste período pois ele é propício a magias relacionadas ao fogo, pois o princípio masculino fala da força ativa.

É claro que a forma como é celebrado e nos foi deixado pelas tradições, assim como temos visto nos outros sabbaths, é diferente, mas a base é a mesma. Tudo no universo é cíclico e a roda do ano tem seu começo meio e fim. Neste momento o Deus chega no auge de seu poder e logo começa a declinar como em uma roda gigante; ele sobe ao máximo desde seu nascimento e tão logo chegue ao topo começa a descer em direção a sua morte...


Muitos dos que seguem as tradições celtas celebram a despedida do Deus do Carvalho (Senhor do Ano Crescente) e o início do reinado do Deus do Azevinho (Senhor do Ano Decrescente), da escuridão, do inverno, que por sua vez durará até Yule (em nossos posts sobre Yule falamos algumas coisas sobre eles).


O termo Litha era mais utilizado nos calendários germânicos e nórdicos. No Asatru (paganismo Nórdico) este dia fala da morte do deus Balder ...


Gostaria de me desculpar por estar postando um texto sobre Litha depois de já ter passado Litha, realmente fazia um bom tempo que não postava aqui...Mas, como devemos sempre lutar contra as dificuldades estou de volta e não pretendo mais parar (risos) portanto este texto continua...


Freya

Um comentário:

Luciana Farias disse...

Texto lindo, amiga
lindo
obrigada de todo o coração
bj